TIPOGRAFIAS

2020, projeto fotográfico realizado durante o quarentena

Difícil é pensar em algo que não tenha sido alterado por conta da pandemia. As rotinas de lazer, trabalho e também da fotografia de rua mudaram. As mudanças ficaram visíveis nas quadras fechadas, fachadas vazias e novas formas de se fazer comércio, sejam adaptações de formas precedentes como até novas demandas, tendo como exemplo a produção de máscaras. Em meio a tudo isto, num cenário de ausências, a fotografia de rua também se alterou. Neste contexto, o “isto é” jornalístico torna-se, marcadamente, ainda mais o “isto foi” de Roland Barthes em A Câmara Clara na sua definição sobre o tempo fotográfico. Nesta sequência fotográfica notei que, mesmo na ausência das pessoas, as marcas textuais estão lá, sejam em mensagens diretamente relacionadas ao problema sanitário como também como marcas de um mundo que ficou em suspensão. Relacionando a pandemia com estas marcas textuais, busquei construir uma narrativa sobre a pandemia no recorte geográfico da Grande Salvador.

 

Sequência fotográfica publicada no portal Fhox: https://fhox.com.br/portfolio/sequencia-fotografica-expressa-a-rotina-na-grande-salvador-durante-pandemia-atraves-de-marcas-textuais/